sexta-feira, 29 de junho de 2007

Descoberta #1

Eu sou terrívelmente masoquista. A dor me excita como nada.
E hoje, fatidicamente, descobri que nao presto pra muita coisa.
Tirando, óbviamente, ser vulgar. Mas por quanto tempo ainda vou conseguir chocar as pessoas falando sobre coisas normais?
Perfure meus mamilos.

segunda-feira, 18 de junho de 2007

Dois poemas ruins...

Porque vivo prometendo contos, mas agora nao tenho tempo pra nada. Eu sou um artista ocupado, sabiam? Dividir o tempo entre escrever poesias, contos, fazer sexo (quando voce deixa), pintar, comer algo e depois ir ao banheiro, nao é nada fácil...Entao deixo os contos pra depois.

Pra quando estiver com MUITA necessidade de ficar famoso. AHA, se pelo menos voce, VOCE acreditasse no que voce mesmo se diz a seu si próprio pra tu...

***

Visao

Eu vi, num dia de setembro
Tao bonito, a procissao passar
num momento tudo vira do avesso
os touros fogem dos homens, com medo no olhar

um milhao de anjos selestinos
semeiam suas rosas como fogo
esperando de espinhos seus destinos
acreditando na promessa de um louco

A nuvem de insetos fecha o tempo
talvez anunciando o fim
respondendo `as nuvens de incenso
Nao erga as maos, nao por mim

Mas que estranhos esses eventos meus
Já que por aqui nao sobrou nenhum Deus.

***

Carona Inusitada

Pra que perder
tanto tempo
andando a pé
se a cada esquina
uma carona
com baleias
posso pegar

E eu fico
tao contente
só de ouvir
essa bagunca
de poemas
qu'elas insistem em cantar

Nao tenho medo de altura...
Mas de vertigem.

Problema
é tentar
tudo anotar
nessa estrada
esburacada
que se forma
pelo mar

E no embalo
Nem reparam
e tropecam
no primeiro
pé de vento
que as obriga
a voar

Nao tenho medo de altura...
Mas de vertigem.

O frio
aqui do alto
nao me importa
ao contrário
é agradavel
e me faz
querer dancar

cada casa
uma caixinha
eu fico tonto
só de ter
que imaginar
que tenho hora
pra voltar

Nao tenho medo de altura...
Mas de vertigem.

terça-feira, 12 de junho de 2007

Ei...!

Eu me masturbo muito! E voces?

quinta-feira, 7 de junho de 2007

Espectativa

"Eu estou aqui! Me note! Me perceba! Me ame!"
E um dia até me apaixonei.
Passava dias e noites pensando nela, seus longos cabelos negros, os olhos verdes que me miravam, como quem diz "entao, e depois?"...nao dormia, nao comia, nao vivia, e se vivia era só pra pensar nessa menina com quem mal falava. Meus pais tentaram de tudo pra me animar, mas nao adiantou muito.
Até que um dia a perguntei:
"Voce quer namorar comigo?"
"Nao" ela disse.