terça-feira, 11 de setembro de 2007

Quero entrar.

E você que se envergonha
quando se olha no espelho
e lembra de tudo o que fez...

de que adianta,
se eu lembro, você lembra
a cidade toda lembra?

Das lamurias que enchiam a noite
das marcas em meu corpo,
em teu corpo
talhadas com destreza

E eu que me envergonho
quando me olho no espelho
e vejo que já passou mais uma semana...
ai, coragem, pra onde tu foi...?

pras lamurias que enchem meus lençóis
pras marcas de unha
no asfalto da calçada
de uma casa qualquer
que não lembro onde fica e não quero
procurar... nem perguntar ...

o que sente ela ao se olhar no espelho e ver
ond'eu morava...

quarta-feira, 5 de setembro de 2007

Perguntinha...

Por que todo "poeta" de blog tem um quê de atormentado do qual acha dificílimo se livrar?

Sem contar a sua admiração incrível pela metalinguagem.